terça-feira, 24 de novembro de 2009

Manuela nasceu em nossas vidas antes mesmo de ser concebida.
Desde a época de namoro conversávamos e fazíamos planos da nossa vida com os nossos filhos... às vezes víamos outros casais com crianças e ficávamos imaginamos como seria o nosso filho...

O tempo foi passando... nos casamos com 7 anos de namoro... curtimos muito nosso casamento, viajamos... e a vontade de aumentar a família foi crescendo...

Sempre conversávamos de ter um bebê mas não sabíamos se era a hora certa.

Mas foi de surpresa! De repente estávamos grávidos!

Comecei a desconfiar e fiz um teste certo dia pela manhã... e POSITIVO, as duas listinhas apareceram imediatamente!!

A suspeita da gravidez começou num sábado... um soninho.... achava que era por conta do calorão que andava fazendo...

No domingo na hora do banho achei os seios maiores, marido também havia notado uma diferença... ainda mais que de sábado para domingo eu sonhei que eu estava grávida... pois bem...

Segunda-feira comecei a ficar encucada antes mesmo do atraso... comprei um teste de farmácia e fiz no mesmo dia, este deu invalido não apareceu nenhum risquinho, dai fui à farmácia e troquei por um novo, eu ia fazer no mesmo dia... mas dai pensei... bom vou fazer amanhã de manhã... Eu tava achando que ia menstruar pois estava sentindo umas colicazinhas...

Da segunda para a terça eu nem dormi direito, acordei o tempo todo e fiquei pensando como eu ia dar a noticia para o Diogo hahaha eu sonhei umas 4 vezes que estava fazendo o teste e em todas as vezes dava positivo... engraçado né? Comecei a ter certeza...Quando acordei fui correndo fazer o teste, o Diogo tava na garagem conversando com um pintor que veio resolver um probleminha no portão.

Peguei a caixinha do exame e tremia... peguei um potinho... coloquei em baixo do xixi e nem sei como também coloquei a tirinha rsrsrs fiz xixi até na minha mão afff rssrs mas tremia demais!!

Dai contei os 10 segundos que tinha que ficar na vertical e coloquei a tampinha do exame e coloquei no chão do banheiro e fiquei olhando, instantaneamente apareceu a primeira linha, já fiquei feliz porque esse não era invalido rs mas em questão de segundos apareceu a segunda linha, bem forte, nossa... parecia mentira... cocei os olhos... não tava acreditando e continuei tremendo rsrsrs

Positivo!!

Sai do banheiro com o teste na mão... e fui para o quarto pegar o livro "manual do grávido" que eu tinha comprado a um tempo... já pensando em presentear o Diogo rs

Dai escrevi num papel de carta assim: "Olá papai, acabei de avisar a mamãe que eu tô chegando para completar a família, bebê" Embrulhei o teste, a cartinha e o livro, nem sei como e fiquei esperando o Diogo entrar para contar a novidade...

Presente pro papai...
Contando para o papai!!!

Ele entrou e veio até o quarto dai eu dei o pacote pra ele e disse, olha amor é o presente do seu aniversário (tava pertinho) mas eu não vou agüentar esperar então vou lhe dar já.

Dai ele pegou o pacote meio sem entender rsrsrs e começou a abrir, a primeira coisa que ele pegou foi o teste. rssr ele olhou pra mim e disse: - "você acha que você tá grávida?" e foi pegando o livro... e repetiu "Você acha que você tá grávida?" E os olhos começaram a se encher de lagrimas...Eu respondi... é... o teste deu positivo...

Ele veio me abraçou e choramos, trememos e rimos juntos... que emoção mais gostosa!! Depois de um tempão assim ele pegou em minhas mãos e disse vamos rezar, dai rezamos juntos um Pai Nosso e uma Ave Maria... e mais choro, mais riso, mais abraço... dai ele veio e beijou a minha barriga... que emoção!!

Diogo e Vanessa grávidos
Depois que fizemos um teste no laboratório saímos contando para toda a família, foi uma felicidade só! Afinal era o primeiro bebê nas duas famílias! Primeira netinha, sobrinha... enfim! Muita alegria!

avós maternos avós paternos
Vovós qdo receberam a noticia
Estávamos com muitos projetos e numa fase nova de negócios, eu comecei a enjoar até... um sono sem fim... e acabei deixando o marido cuidando de tudo... ele foi um super pai desde o começo, cuidou dos nossos projetos e ainda me agüentava, porque eu tava uma chaaaataaa rsrs Meus enjôos passaram mesmo com 4-5 meses de gestação, mas é verdade, depois que passam a gente nem se lembra mais deles... RS
Mesmo antes de engravidar eu já pensava como seria o parto, cheguei a mandar um e-mail um ano antes para a Márcia, que é parteira, perguntando se ela atenderia meu parto em Itatiba, mesmo ela sendo de SP, e ela me respondeu que sim! Fiquei super feliz!!
Quando engravidei liguei logo para ela contando a boa nova!
Começamos a fazer nosso pré natal, com um médico do convenio, para que ele me pedisse os exames e também para que eu tivesse um médico aqui em Itatiba, no caso de alguma emergencia e também com a nossa querida Márcia!
Márcia é uma parteira contemporânea, faz partos domiciliares e desde antes de eu engravidar eu sabia que meus filhos nasceriam em casa.
Porque eu queria um parto em casa? Porque eu não queria nenhuma intervenção desnecessária, eu queria que minha filha nascesse de mim direto para mim, não queria ficar um minutinho separada dela... não queria ninguém aspirando ela, queria que ela se sentisse amada e protegida desde o seu primeiro segundo fora da barriga. Eu queria ter a certeza que eu estaria no comando, agindo de acordo com os meus instintos sem ter nenhum protocolo a seguir. Porque eu sentia que esse era o melhor meio de se vir ao mundo. Eu queria sentir tudo, estar confiante, pegar meu bebê, amamentar no primeiro minuto, queria também que o pai participasse ativamente, cortasse o cordão...
E assim foi, Diogo concordou comigo que a melhor maneira de receber a nossa filha seria em nossa casa, e então fizemos nosso pré natal com a Márcia também, como as consultas com ela era em São Paulo foram poucas, mas mantemos um contato freqüente por e-mail e nas ultimas semanas também por telefone.
Começamos também a freqüentar o grupo de parto de nossa querida doula Lucía, todas as quintas, e conhecemos muita gente, muitas histórias, compartilhamos experiências e dúvidas. Foi muito importante para nos preparar ainda mais para o momento mais especial de nossas vidas!
A gravidez seguiu tranqüila, foi uma gravidez típica, com enjôos no inicio e azia no final rsrs.

Eu adorava estar grávida, como era bom senti-la dentro de mim, ver os movimentos...
Quando fizemos nosso primeiro ultrassom, foi emocionante ver aquele serzinho com 6,5 cm todo formadinho, com mãozinha, pezinho, coraçãozinho batendo a todo vapor, que benção, que milagre de Deus!


Saímos de lá ainda mais apaixonados pela nossa filhotinha (ainda não sabíamos que era a Manuela rs)

Os ultrassons são sempre emocionantes! É uma delicia espiar o bebê rs

Fizemos poucos ultrassons, o segundo foi para saber o sexo, não agüentávamos mais de tanta curiosidade! E ai descobrimos é uma MENININHA! A NOSSA MENININHA! Foi muito gostoso saber que teríamos uma menininha, nossa princesinha... no mesmo dia já comprei as primeiras roupinhas rosa e lilás.
Quando eu estava no oitavo mês de gestação o médico perguntou qual seria o tipo de parto, e eu disse a ele, será parto normal, então ele me disse assim: tá certo, então você vai tentar o parto normal? E eu disse, sim será normal. Ele não sabia que meu parto seria em casa e que ele nem estaria presente...
Seguimos nosso pré natal com a Márcia e o médico do convênio... até que quando eu estava com 38 semanas o médico fez um ultrassom no consultório e disse que meu liquido amniótico estava baixo e então pediu um cardiotoco, fiquei bem preocupada, liguei para a Márcia que me tranqüilizou, segui as orientações dela no final de semana, tomei muita água e descansei bastante, na segunda fiz o exame de cardiotoco que deu tudo normal, graças a Deus o coraçãozinho da minha filha estava ótimo!
Naquela segunda eu tinha consulta com o médico, resolvi não ir, pois ele marca todas as cesáreas para terça feira, decidi evitar o stress, e então apareci na consulta apenas na terça a tarde, nesse dia ele novamente fez um ultrassom no consultório e disse que meu liquido estava ainda mais baixo, que já estava mais baixo que o normal (6.5 - é considerado normal de 8 à 20) e que eu deveria ir na maternidade no dia seguinte fazer um novo cardiotoco mas que ele mesmo estaria lá para realizar o exame.
Tanto eu quanto o Diogo saímos da consulta com a certeza que ele tava mentindo para gente, mas eu como mãe claro que fiquei apreensiva... será que o médico seria capaz de uma mentira tão cruel para forçar uma cesárea? O médico disse várias vezes... é talvez não seja conveniente esperar pelo parto normal... mas ta tudo bem...

Sai da consulta e liguei para a Márcia, que me orientou a não ir ao exame e sim marcar um ultrassom particular com Doppler para realmente verificarmos se o liquido estava abaixo e também se a Manú estava recebendo todos os nutrientes corretamente.

E assim fiz, na quarta feira liguei e agendei o ultrassom, fomos fazê-lo à tarde, logo a médica começou a olhar tudo e nós começamos a perguntar, foi ótimo! Estava tudo normal, tudo maravilhosamente bem! O liquido que o médico dizia estar abaixo não estava, estava normal, ele dizia que estava 6.5 e na verdade estava 10.3. A médica olhou tudinho, tudo funcionando perfeitamente bem!

Saí de lá rindo a toa, feliz da vida, tirei um peso das minhas costas, apesar de saber que a Manú estava bem eu precisava ouvir isso de um especialista! E então decidi, não iria mais ao médico do convenio, havia chegado a hora de dar adeus.

É muito triste pois como pode um médico mentir desse jeito para forçar uma cesárea totalmente desnecessária? Quantos bebês nascem antes do seu tempo por mentiras desse tipo? Quantas mães têm negado seu direito de parir por causa de médicos assim? Foi uma decepção muito grande!

Seguiriamos nosso pré natal com a Márcia e marcamos uma consulta para o dia 30-09.
Dia 29-09 saímos para comemorar nosso aniversário de casamento, 3 anos! E com o presente mais importante do mundo para chegar! Estávamos jantando e eu senti algumas contrações doloridas, tinha até que parar de comer RS ficamos feliz, tanto que decidimos logo pedir a conta e vir embora, mas foi só chegar em casa pra tudo passar... alarme falso...

No dia seguinte, fomos a consulta, eu já estaria na 40ª semana... e lá fomos nós, conversamos, as consultas com a Márcia foram sempre ótimas, pareciam conversa com amiga! Nesse dia contei a ela do dia anterior, ela me examinou e eu ainda não tinha nenhuma dilatação. Me orientou a usar o óleo de primoris e também me receitou duas manipulação que poderiam ajudar caso eu estivesse nos pródromos.
Na quinta feira a noite tomei o manipulado de dose única, e na sexta tomei as gotinhas alternadas dos outros dois.

Na sexta feira dia 2 de outubro, acordamos cedo e fomos trabalhar normalmente, quase não parei esse dia, eu queria deixar muita coisa pronta e resolvida, acabei saindo do trabalho as 19h00min e falei para o Diogo que eu queria ir até a cidade vizinha Jundiaí para comer um lanche no SubWay, ele relutou mas acabou cedendo e lá fomos nós!

Comi o lanche com gosto, mal sabia eu que seria a ultima refeição antes da Manú chegar! O lanche era meu ultimo desejo de grávida rsrs

Chegamos em casa já eram perto das 22h00min, Diogo queria passar no supermercado e eu não quis... chegamos em casa e fomos tomar banho... Estávamos assistindo TV quando eu senti alguma coisa escorrendo pelas minhas pernas, eu disse pro Diogo e falei que podia ser xixi, fui ao banheiro, mas não era xixi, era a bolsa!

Ficamos transbordando de alegria! Tinha chego a hora! Era meia noite e meia mais ou menos, e logo vieram as primeiras contrações, vieram fraquinhas... o Diogo queria logo ligar para a Márcia e para a Lucía, e eu disse, não liga não, vamos esperar pra ver se engrena rs e ai as contrações foram ficando mais doloridas e menos espaçadas... eram umas três da manhã quando o Diogo ligou para a Lucía e para a Márcia.

Lucía chegou aqui por volta das quatro da manhã, foi ótimo, as contrações ainda estavam tranqüilas e conseguiamos conversar, toda hora eu ia pra baixo do chuveiro, acho que entrei e sai do chuveiro umas mil vezes rs... e quando uma contração vinha eu tinha que ficar de pé, o Diogo fazia massagem e pressão nas minhas costas o que ajudava muito!

Começo do trabalho de parto

Recebendo carinho do marido

Beijinhos
recebendo o carinho do maridão

Mimindo..
cochilando entre as contrações

Eu queria entrar na água e eles ficaram além de cuidando de mim tentando encher uma piscina inflável... rs o difícil foi que não tínhamos bomba para encher... Foi engraçado a cena... eu passava pela cozinha e via aquela piscina murcha e todo mundo tentando encher, mas assim o tempo foi passando e por dentro de mim eu até ria daquela situação rs

Carinho da Lucía
recebendo o carinho da Lucía

Depois de um tempo eu queria mesmo era que a Márcia chegasse logo, senti vontade de fazer força, e a Lucía ligou para ela que disse que já estava próximo, passou mais um tempo e ela ligou dizendo que já tinha chegado em Itatiba.
Quando ela chegou conheci a Ivanilde, que também era enfermeira obstetra e que acompanharia o parto com a Márcia.

Eram por volta das 7 da manhã, pedi um exame de toque... eu precisava saber como estava...

A Ivanilde me disse, você não pode desanimar ta? Eu disse que não ia desanimar não... daí ela me examinou e perguntou com quanto eu achava que eu tava, eu disse uns 4 ou 5 e então ela me disse, você está com 8!!! Fiquei super feliz, faltava pouco...

Mais uma contração

A Márcia me perguntou se eu queria entrar na água eu disse que sim, ela havia trazido uma piscina também e tinha uma bomba elétrica. Ainda bem né!! Rsrs assim a piscina encheu rapidinho. É engraçado como a gente vai mesmo para a partolândia... tem muita coisa que eu não lembro de vê-las fazendo.

Neste meio tempo eu comi um pouco, uns pedacinhos de melão, água eu bebia bastante.

Assim que a piscina estava cheia nós entramos, eu e o Diogo, a água ajuda muito, relaxa... mas nas contrações eu queria ficar em pé... mesmo assim foi bom, porque eu dormia entre as contrações... é incrível dava até para sonhar rsrs

Massagem do maridão
Diogo massegeando minhas costas...

Monitorando a Manú
Márcia monitorando os batimentos da Manú

Decidi sair da água porque achei que as contrações estavam diminuindo... rs eu queria mesmo que chegasse logo a hora da Manú nascer!

Não sei quanto tempo fiquei na água... mas foi bom.
Quando saímos o Diogo tava exausto, já estávamos acordados à mais de 24 horas... A Ivanilde e a Márcia falaram para ele ir tentar dormir e descansar um pouco... ele não queria... eu também disse para ele ir, e então ele foi. A verdade é que ele não queria e eu no fundo também não queria que ele saísse de perto de mim, mas eu sabia que ele precisava descansar.
Fiquei só com a mulherada... apesar das contrações doerem mais sem o Diogo por perto, ainda eram bem suportáveis. Com a massagem do Diogo eu até esquecia da contração em alguns momentos.

Eu sempre queria ficar em pé ou inclinada para frente, encostada em alguma coisa... rebolar também me ajudava muito!
Engraçado que muita coisa eu não lembro bem, perdi um pouco a noção do tempo... estava mesmo na partolândia!

Tenho alguns flashes... bem nítidos na memória, eu de pé na porta da cozinha olhando o quintal... na banheira, na sala, no corredor... eu estive em todos os cômodos da casa durante o trabalho de parto rsrs
Lembro do Diogo ter acordado... eu estava na sala, no banquinho de cócoras, tava muito confortável...

Diogo colocou para tocar algumas músicas, entre elas tinha uma do Pe. Marcelo e eu senti força quando ouvi o trecho da música, "Pai, Meu Pai do Céu, eu quase me esqueci, que seu amor vela por mim, que seja feito assim"... também tinha a música da Kenia que tem no video do primeiro ultrassom, que diz "toda flor em seu momento devido tempo brotará para que o sol aqueça..." Essas músicas me ajudaram muito!

Como eu tinha planejado meu parto na água, a Márcia perguntou se eu queria voltar para a piscina eu quis sim, elas esquentaram a água novamente, eu passei pela cozinha e olhei que horas eram, era 11 da manhã, mas pra mim não tinha nenhum sentido... fui pra piscina novamente foi muito bom, eu fiquei deitada de bruços sem apoiar a barriga e relaxei... mais uma vez eu dormia... a água estava bem quente para mim, eu sentia muito calor! Mas a água tinha que ser quente para a Manú...


Esse apóio foi fundamental

Mas o calor tava difícil... eu suava... a água quente me dava moleza... Eu senti muito calor durante o trabalho de parto, tanto que arranquei toda a roupa rs acho que virei meio bicho mesmo.
Esta segunda vez na piscina foi a hora mais difícil para mim, acho que foi a hora que a Manú encaixou... Eu sentia a cabeça dela na minha pelve , meus ossos doíam... nessa hora perdi um pouco o controle, aliais, acho que nessa hora eu me desconcentrei, saí da partolândia... E ai sim, se não fosse a Lucía me ajudando... ela foi importante demais nesse momento, me ajudou a voltar para dentro de mim... e eu consegui novamente retomar a rumo certo!
Decidi sair da piscina e fui para nosso quarto, fiquei um pouco em cima da cama apoiada num monte de travesseiros inclinada para frente, tava bom, mas nesse tempo as contrações viam uma mais pertinho da outra.
A Ivanilde me perguntou se podia fazer um toque, achei uma boa idéia, e a Márcia me examinou, tinha um restinho do colo do útero e ela disse me ajudaria... que na próxima contração ela tiraria aquela pele...

Essa contração doeu rs porque tive que ficar deitada de barriga pra cima... os toques eu nem senti.

Recebendo o carinho e apoio da Ivanilde

Nesse ultimo toque minha bolsa acabou de romper, vimos que o liquido estava clarinho, ótimo!

Daí fui para o chão, no canto da cama e fiquei de cócoras já tava com vontade de fazer força, então veio o banquinho para ajudar, eu sentei nele, foi muito bom, encontrei meu cantinho, era ali mesmo que a Manú nasceria, as parteiras sentaram no chão, o Diogo se arrumou atrás de mim.

Ivanilde Márcia
Ivanilde e Márcia, sentadas no chão a espera de Manú

Eu sentia muito calor, a Lucía molhou uma toalha e passava em meu corpo, era uma delicia, aquela toalha geladinha...

Banho de toalha

Passou umas contrações e eu senti queimar! E lembro de ter falado: Tá queimando!! Tá queimando!!
Todo mundo riu, e ficaram felizes também, é ta nascendo! É o circulo de fogo!

Caramba o circulo de fogo parece fogo mesmo rsrs de um lado é uma dor do outro uma felicidade, tava pertinho!

Monitorando os batimentos da Manú

Essa é a graça do parto, é uma dor do bem, que acho que nem pode e nem deveria ser chamado de dor... dor que traz a vida... é uma coisa boa demais!
Nossa tava chegando a hora! A vontade de empurrar crescia, a Márcia colocou um espelhinho para vermos a Manú e me encorajou a sentir a cabecinha dela... tava perto, muito perto de conhecer a nossa princesa!
Foi estranho colocar a mão e sentir a cabecinha dela... um misto de medo, alegria, empolgação .

Depois de senti-la, lembro de ter dito, ah acho que eu não consigo, e todo mundo me apoiando e depois eu repetia, eu consigo sim, eu consigo! Rs

Manú coroando
Neste momento Manú estava coroando (dá pra ver a cabecinha dela...)

Ouvi muitas palavras de incentivo... tava nascendo... As palavras realmente tem poder, naquela hora me ajudaram muito! Não lembro bem o que cada um falava, mas na hora me ajudava.
Eu fechei os olhos e só pensava, agora ela nasce, agora ela nasce rs Pedi muito a ajuda de Deus e de Nossa Senhora, lembro que até rezei o Pai Nosso... eu senti muito a presença de Deus alí do meu lado, eu estava vivendo um milagre... o milagre da vida.

Faltava muito pouco pra ter nossa filha nos braços

Teve uma hora que eu não sentia mais as contrações... então a Ivanilde colocou a mão na minha barriga e disse que me avisaria quando eu tivesse uma e que com certeza ela nasceria naquela.
E foi assim, ela me avisou e então eu fiz uma força enorme e pensava é agora!! Então tive a melhor sensação do mundo! Nasceu!!!!!!!!


Nasceu!!!


Sem palavras...

Ouvi elas comentando, nossa ela veio com a mãozinha na cabeça! Rsrsr Por isso que demorou ainda mais... às 7 da manhã eu tava com 8 cm e a Manú só nasceu as 13:25! Ela estava à direita e virada para trás, além da volta enorme que ela teve que fazer para encaixar a mão ainda tava junto! Rsrs Além de passar a cabecinha, também teve que passar um bracinho... por isso senti queimar tanto! rs
Assim que ela nasceu, tudo passou, só sentia alegria, minha filha estava ali em meus braços! Ouvia o choro do Diogo atrás de mim, eu só conseguia agradecer, dizia o tempo todo, obrigada Meu Deus! E dizia para a Manú bem vinda filha, Deus te abençoe. Você é linda, linda! Perfeita!

Eu queria trazê-la bem pertinho do meu peito, mas o cordão era curto! Então ela ficou aninhadinha na minha barriga...
Quando o cordão parou de pulsar o Diogo cortou, e então pude trazê-la bem pertinho de mim, senti o cheirinho da sua cabecinha, beijei, beijei, beijei, acho que nunca vou me esquecer daquele cheirinho! É felicidade demais!


O Diogo nos abraçava, por um momento tudo parou... aqueles instantes ficaram marcados na minha vida, nunca vou me esquecer. Nós três ali, no chão do quarto, nos conhecendo...
Ela nem chorou muito, deu um resmunguinho, e agente conversava com ela, tanto eu quanto o Diogo agradecia e dava as boas vindas a ela! Ela abria o olhinho e espiava... era nossa, nossa filha!
Conseguimos! Parimos a nossa filha! Eu digo parimos porque o Diogo pariu comigo, se não fosse ele eu não teria conseguido!

Curtindo os primeiros minutos da Manú do lado de fora

Ficamos a ali os três... em nosso mundinho... alheio ao que estava acontecendo em volta...



Depois de um tempo me pediram a Manú para vesti-la e também para eu deitar na cama, para ver se havia alguma laceração.
O Diogo foi com a Manú, eu deitei e tinha algumas lacerações internas, provavelmente devido a mãozinha que veio junto rsrs Ele ficou conversando com ela... lindo...



Externamente não havia nenhuma laceração! Maravilha! Mas mesmo assim tive que tomar uns pontinhos... um vasinho também acabou rompendo... sangrou um pouco mais do que o que deveria... tive que tomar um sorinho por causa do volume... mas foi tudo tranqüilo, tudo feito enquanto eu lambia a minha cria...
Manú tomou um banhinho de balde para relaxar, ela até dormiu...



Sei que para ela também foi difícil, mas a minha menina também foi guerreira e nasceu!

Eu continuava sentindo muito calor! Manú veio mamar, não mamou não... mas ficou ali no meu peito. Ela olhava pra mim... que amor é esse? Me invadiu... aquele olhar... eu olhava pra ela, ela olhava pra mim... é uma conexão incrível!


Depois de um tempo o Diogo ligou para minha mãe avisando do nascimento. Ninguém sabia que seria em casa! Rsrs e então vieram minha mãe, meus irmãos e minha cunhada. Todos ficaram emocionados em conhecer a Manú.
A Lucía logo foi embora, tinha outra gestante parindo, esperando por ela! Rs Antes dela partir, dei um abraço bem forte nela, como ela foi importante!
A Márcia e a Ivanilde ficaram até a Manú mamar direitinho pela primeira vez.
E depois que ela aprendeu mamou pra valer! Rs Graças a Deus é assim até hoje!
Eu só tenho a agradecer:

A Deus por estar ao meu lado ao tempo todo e ter me dado a graça de ser mãe, e também por Ele ter colocado em meu caminho pessoas tão maravilhosas que me acompanharam.

Ao Diogo, meu marido, meu amigo, companheiro de todas as horas, por ter acreditado em mim desde o principio, por acreditar que eu podia parir a nossa filha, por ter me dado força, me acompanhado em todos os momentos da gestação, por ter segurado a onda muitas vezes sozinho... por cada massagem, por cada carinho, por cada palavra de amor e de incentivo que ele me falou, tenho certeza que sem ele eu jamais teria conseguido. Como disse ele pariu comigo. Eu o amo ainda mais depois do nascimento da Manuela. O nosso parto nos uniu de uma forma incrível.
À Manuela, minha filha linda, que é a luz das nossas vidas, por tudo que ela me ensinou como mãe, pelos momentos maravilhosos que passamos juntos e por todos que ainda vamos passar.
À Lucía, doula querida, que me mostrou como o parto e o nascimento é lindo e natural, quando eu fiz com ela o curso para doula a dois anos atrás, e agora por ter acompanhado semanalmente no grupo de parto, ajudando a eliminar o medo, a nos aproximar da nossa filha, e principalmente pela hora do parto, por ter me ajudado a voltar a partolândia, por todas as palavras de incentivo que me disse, pelos carinhos e massagens!
À Márcia, por sua calma e serenidade, pelo profissionalismo e amor, cada consulta, cada e-mail, cada telefonema, foi respondido sempre com muito amor e carinho. Por estar presente no momento mais lindo da minha vida, por acreditar em mim, por me ajudar em todos os momentos da gestação e por ter amparado a Manú quando veio ao mundo.
À Ivanilde, que eu acabei conhecendo no dia do parto, mas que foi incrível, me ajudou demais com suas palavras e com seu carinho. Com certeza Deus me mandou as pessoas certas!
À minha mãe, que me ajudou muito nos primeiros dias com a Manú, arrumando a casa, cozinhando, cuidando de mim.

Enfim, dia 3 de outubro foi um dos dias mais feliz da minha vida, foi o dia da chegada da nossa menina!
Manela nasceu grandona, 52cm e 3.780kg com 41 sem e 3 dias de acordo com o primeiro us, de acordo com as minhas contas foram 40 sem e 6 dias... nasceu dia 3 de outubro de 2009 às 13:25 hrs de um lindo sabado.


Manú com 1 dia
Manú com 1 dia

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto
Sou Vanessa, casada com o marido que é o amor da minha vida, meu grande companheiro, Diogo, mãe da princesinha mais linda do reino, Manuela que é a luz das nossas vidas. Abençoada por Deus e grata muito grata a ELE por tudo.